Destaques
LIteratura Infantil
Vote em nós
Resenhas
Quando eu li…
  • Quando eu li

    Quando eu li Marcel Proust

    28 de outubro de 2016
    2
    O propósito desta coluna é escrever sobre o autor que primeiro tocou afetivamente seu leitor, para dividir com ele suas impressões sobre o escritor em questão. Hoje vou falar de Marcel Proust abrindo uma exceção: Proust não foi minha primeira paixão literária, mas depois que comecei a ler Em busca do tempo perdido, sua recherche, percebi que estava num divisor de águas. Vivian antes de Proust – e, por fim, Vivian depois de Proust, não há dúvidas. Nasceu em mim uma nova forma de ler, analisar e vivenciar a literatura desde que cheguei à última frase da recherche, a...
Entrevistas

Pensamentos Imperfeitos

Leitura do mês
Contos
Video-Publieditorial

Agenda | Divulgação

Crônicas
Conversa com o editor
Poesia
Crítica Literária
  • Crítica LiteráriaEnsaio

    O ready-made de Oswald

    27 de abril de 2017
    0
    O ready- made tornou-se célebre nas mãos de Marcel Duchamp, francês radicado nos Estados Unidos e expoente das vanguardas do início do século. O procedimento consiste, em base, no deslocamento de objetos prontos (daí o nome) a um ambiente distinto, subvertendo seu significado. Pode-se exemplificar com a Fonte (1917) e a Roda de Bicicleta (1913), ou ainda com o Porta-Garrafas (1964) e L.H.O.O.Q. (1919), todas obras do próprio Duchamp. No Brasil, serviu como instrumento para, entre outros, Oswald de Andrade, figura central do movimento modernista e da virada antropofágica, na década de 1920. Bebendo da fonte europeia e de...